sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

hq inédita II


estávamos em época de ditadura, guerra-fria, terceiro mundismo, esperanças e desespero. falávamos sobre sonhos e suas realizações ou frustrações. tínhamos um futuro imenso pela frente, guiado por fé e coragem mas eivado por repressão e cautela. a classe média cada vez mais medíocre, alienada e inativa.

4 comentários:

Fernando J. Pimenta disse...

Achei bonitão o estilo de desenho.

jo fevereiro disse...

Fernando, nessa fase eu deixei o pincel de lado e passei a finalizar com pena. Ela dava mais segurança aos hachureados que, então, eu usava muito.

Fernando J. Pimenta disse...

Mas a pena era molhada em quê? Nanquim?

Exato! Eu desconhecia o termo: hachureado. São as hachuras que deixa bastante curioso o desenho, legal mesmo.

E o texto abaixo refere-se de que forma ao desenho? (a contextualização histórica ficou bacana também).

jo fevereiro disse...

Sim, era nanquim. No texto, a única referência direta ao desenho é o comentário sobre a classe média. Ele justifica os passageiros adormecidos dentro do ônibus, enquanto os dois protagonistas traçam seus planos. Mas a proposta principal é situar o momento em que essa história germinou. Essas postagens de quadrinhos mexem com minhas lembranças e gosto de dividi-las com os visitantes do blog. Penso também que essa contextualização pode facilitar a alguns leitores mais jovens, a compreensão das referências contidas tanto no texto quanto nas imagens.