quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

estreia II


hoje lastimo o crime cometido sobre o lápis do mestre, e reconheço a dimensão de sua generosidade. quanto ao texto, me faz repensar as críticas que tenho feito ao sistema de ensino atual, pois considero-o de um primarismo absoluto perto do que escrevem hoje garotos de treze anos como: http://porjoao.blogspot.com/ e http://pedrocobiaco.blogspot.com/ continua...

2 comentários:

Pedro Cobiaco disse...

Ha, valeu=) Ei até que ficou legal cara! Bem parecido com as histórias da Cripta do Terror, já leu? é velhona, li as do meu pai=P


Pedro C.

jo fevereiro disse...

Eu também colecionava a revista Cripta, Pedro. A Rio Gráfica e Editora traduzia histórias das revistas americanas Creepy e Eerie, que deixaram de ser publicadas na década de oitenta. A Creepy voltou às bancas no ano passado, com novos colaboradores. Para quem gosta de terror, é uma referência.